Aprovados Estatutos de Instituto Pontifício sobre matrimônio e família

Pontifício Instituto Teológico João Paulo II para as Ciências do Matrimônio e da Família foi criado pelo Papa Francisco em 2017

Da redação, com Vatican News

Foram aprovados nesta quinta-feira, 18, no Vaticano, os Estatutos do Pontifício Instituto Teológico João Paulo II para as Ciências do Matrimônio e da Família.

O objetivo do Instituto criado pelo Papa Francisco em 2017, é prosseguir com a ampliação das pesquisas sobre a família, quer na sua dimensão pastoral e eclesial como no campo da cultura antropológica.

O novo Instituto substitui o Pontifício Instituto João Paulo II para os Estudos sobre o Matrimônio e a Família, com a finalidade de continuar a intuição de João Paulo II.

No âmbito das mudanças dos Dicastérios pontifícios, o novo Instituto constituiu um centro acadêmico de referência, a serviço da missão da Igreja católica, no campo das ciências sobre o matrimônio e a família, da geração e a criação.

Criação do Instituto

A decisão do Papa Francisco, de criar um Instituto Teológico para as Ciências do Matrimônio e da Família, contribui para ampliar o âmbito de interesse, concernente às novas dimensões da tarefa pastoral e da missão eclesial, em relação aos desenvolvimentos das ciências humanas e da cultura antropológica, fundamental para a cultura da vida.

A aprovação dos Estatutos do Instituto favorece a fase operacional da sua adaptação aos critérios inspiradores da inteligência e da cultura cristã, requeridos pela missão eclesial.

Diretrizes da renovação

As diretrizes da renovação que, consequentemente definem a nova estrutura constituem, em primeiro lugar, a expansão e o fortalecimento (novas cátedras, novos mestres) dos dois “polos” da missão, originalmente, confiada ao Instituto: “teológico-pastoral e antropológico-cultural”.

O primeiro polo – “teológico-pastoral” – integra-se ao seguinte aprofundamento teológico: formação cristã da fé, eclesiologia da comunidade, missão evangélica, antropologia do amor humano e teológico, ética teológica global da vida, espiritualidade e transmissão da fé.

O segundo polo – “antropológico-cultural” – é devidamente remodelado segundo a necessidade urgente de atualizar o confronto e o diálogo da cultura e do pensamento cristãos, nas áreas de direito religioso e civil, das transformações econômicas, políticas e tecnológicas, das instituições familiares e da integração ética e afetiva do vínculo social. Os dois polos da missão do Instituto são revistos para uma maior e plena harmonização no contexto da pesquisa e da formação cristã unitária.

O novo Instituto João Paulo II pretende, enfim, honrar as profundas e sempre válidas razões da tradição e missão teológica e cultural. A esperança, obviamente, é merecer a confiança dos Pastores da Igreja em apoio ao seu serviço à comunidade eclesial e à comunicação da fé católica e cristã.

Enfim, o compromisso do Instituto teológico “pontifício” é honrar a sua prerrogativa especial, estreitamente ligada ao ministério supremo e universal do Sucessor de Pedro e ao serviço fiel à Igreja.

O post Aprovados Estatutos de Instituto Pontifício sobre matrimônio e família apareceu primeiro em Notícias.

;
Matéria retirada do Site: Noticias do Vaticano por papa.cancaonova.com

Gostou do nosso site, compartilhe...

Pastoral da Comunicação Santa Terezinha

Missão: “Testemunhar e anunciar o Evangelho de Jesus Cristo”. A Pastoral da Comunicação testemunha e anuncia o Evangelho de Jesus Cristo, promovendo a comunhão e a participação ativa no processo comunicacional e consolidando a missão da Igreja por meio da comunicação. Definição: “É a pastoral do ser e estar em comunhão com a comunidade. É a pastoral da acolhida, da participação, das inter-relações humanas, da organização solidária e do planejamento democrático do uso de recursos e instrumentos de comunicação” (doc. 75 – Igreja e Comunicação -  CNBB) A Pastoral da Comunicação é o organismo que deve aproximar-se dos meios de Comunicação e colocá-los a serviço da divulgação da mensagem de Cristo, proclamando a partir dos telhados (cf MT. 10, 27; Lc 12,3) a mensagem da qual é depositária. E João Paulo II vem confirmar este anseio da Igreja quando diz que “não é suficiente usar os meios de comunicação para difundir a mensagem cristã e o Magistério da Igreja, mas é necessário integrar a mensagem nesta “nova cultura”, criada pelas modernas comunicações... Com novas linguagens, novas técnicas, novas atitudes psicológicas”. (Redemtoris missio). Objetivo Geral: As diretrizes da Pascom têm como objetivo principal consolidar a missão da Igreja por meio da comunicação. Organizar e animar a Pastoral da Comunicação, para que ela seja um instrumento eficaz e ajude permanentemente as paróquias e, por conseguinte a diocese a cumprir sua missão de anunciar a Cristo de modo planejado. O fortalecimento do processo dialógico enaltece qualidades existentes na comunidade como a acolhida, o amor fraternal e a compreensão da complexidade das relações pessoais e a superação dos desafios, tornando comum as diferenças e assumindo em conjunto o projeto evangélico da instalação do Reino de Deus entre nós. O Sistema Pascom de Automatização de Mensagens, foi desenvolvido plenamente para que nossos paroquianos tenha sempre a mão as notícias mais atualizadas possíveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *