“BEATO PADRE DONIZETTI TAVARES DE LIMA – O APÓSTOLO DA ACOLHIDA”

Em nossa Província Eclesiástica de Ribeirão Preto, SP, no dia 23 de novembro, em Tambaú, SP, às 9h00, será beatificado o Padre Donizetti Tavares de Lima, em missa campal, presidida pelo Cardeal Prefeito da Sagrada Congregação para a Causa dos Santos, Angelo Becciu, delegado do Santo Padre o Papa Francisco para este evento de fé.
Padre Donizetti nasceu em Cássia, Minas Gerais, em 03 de janeiro de 1882, filho do casal Sr. Tristão Tavares de Lima e Sra. Francisca Cândida Tavares de Lima, teve oito irmãos. Aos quatro anos, mudou-se com a família para Franca, SP, onde estudou o primário e teve iniciação musical. Aos 15 anos foi para o curso preparatório do Seminário Episcopal de São Paulo; e aos 18 anos, estudou em Sorocaba, voltando em 1900 para o Seminário. Em 12 de julho de 1908 foi ordenado sacerdote em Pouso Alegre, Minas Gerais.
Como sacerdote, trabalhou nas seguintes paróquias: São Caetano, em Pouso Alegre; Santa Mãe de Deus, em Jaguariúna; Aguaí; Sant’Ana, em Vargem Grande do Sul; e a partir de 12 de junho de 1926, foi pároco em Tambaú, por 35 anos, sob os auspícios de Santo Antônio.
Padre Donizetti viveu ocupado com os empobrecidos: para as crianças, criou a Casa da Criança; para os operários, fundou o Círculo Operário; e para os idosos, fez o Asilo. Acolhia a todos os que peregrinavam a Tambaú para implorar uma bênção ou um conselho, ninguém voltava de coração vazio para casa, sem ter recebido uma bênção, um olhar, um abraço, uma palavra, uma oração ou uma esmola.
Nossa Senhora Aparecida tinha no Padre Donizetti um coração devoto. Em Tambaú, ele entronizou na igreja de Santo Antônio uma imagem dela. Em 1929, um incêndio, de grandes proporções, destruiu tudo o que havia nesse templo, mas o fogo não consumiu a pequenina imagem da Rainha e Padroeira do Brasil.
Era o dia 16 de junho de 1961, quando o relógio marcava 11h15, a hora do seu encontro final com Nosso Senhor Jesus Cristo, quando se encontrava sentado em uma cadeira na entrada da residência paroquial. E desde então, até hoje, são incessantes os relatos de graças e curas alcançadas pela sua intercessão. 
Em 1997, foi instaurado o Tribunal para levar adiante o processo de beatificação do Padre Donizetti, iniciado em 1992, pela Diocese de São João da Boa Vista. A partir de 2008, ele é considerado “Servo de Deus”. Em 2009, chega a Santa Sé, em Roma, na Itália, todos os dados necessários para seguir adiante, agora em segunda fase, o processo canônico, encerrando a fase diocesana.
Em 10 de outubro de 2017, a Sagrada Congregação para a Causa dos Santos, declara o Servo de Deus Padre Donizetti “Venerável”, reconhecendo que ele exercitou de modo heroico as virtudes da fé, da esperança e da caridade, e viveu de forma exemplar a vida sacerdotal, distinguindo-se no serviço aos empobrecidos, marginalizados e enfermos. 
O Papa Francisco, em 06 de abril de 2019, reconheceu a veracidade do milagre ocorrido pela intercessão do Padre Donizetti, o que permitiu a sua beatificação. O milagre foi realizado no garoto Bruno Henrique que, desde o nascimento, tinha um pé torto, que não foi resolvido com várias cirurgias. Seus pais, Sr. Adriano e Dona Margarete, pediram a intercessão do Padre Donizetti, e foram prontamente atendidos: no dia seguinte, o menino pisava corretamente.
A fama de santidade do Padre Donizetti, mesmo antes de sua morte, se espalhou, sobretudo pelos estados de São Paulo e Minas Gerais. Muitas pessoas foram batizadas com o nome de Donizete, para recordar a gratidão pelo Padre que viveu santamente.
Oração pela canonização do Padre Donizetti: “Ó Deus, ornastes o Beato Padre Donizetti Tavares de Lima de dons especiais. Fizestes dele sacerdote admirável na pregação, pastor incansável, defensor dos pobres e grande devoto de Nossa Senhora Aparecida. Concedei-nos, por sua intercessão, a graça que tanto precisamos ( fazer o pedido ). Por Nosso Senhor Jesus Cristo. Amém!”.
A Diocese de São José do Rio Preto, parte da Província Eclesiástica de Ribeirão Preto, agradece a Deus o dom da santidade do Beato Padre Donizetti Tavares de Lima. Nos alegramos e estamos unidos à oração de ação de graças dos fiéis da Diocese de São João da Boa Vista, SP.
+ Tomé Ferreira da Silva
Bispo Diocesano de São José do Rio Preto/SP

;
Matéria retirada do Site: Dom Tomé Ferreira

Gostou do nosso site, compartilhe...
RSS
Follow by Email
Facebook
Facebook
Twitter
Visit Us
YouTube
YouTube
INSTAGRAM

Dom Tomé Ferreira

LEMA EPISCOPAL: “Santidade na verdade e caridade” Filho de Sebastião Ferreira da Silva e D. Ana Ferreira da Silva (já falecidos), nasceu no dia 17 de maio de 1961, na cidade de Cristina, Estado de Minas Gerais. Cursou o Ensino fundamental e Médio nas Escolas de São Domingos Sávio e Cônego Artêmio Schiavon, em Cristina, sua cidade natal, e na Escola Estadual Vital Brasil e no Seminário Diocesano Nossa Senhora das Dores, em Campanha, onde ingressou em fevereiro de 1975, aos 14 anos de idade. Em 1982, concluiu o Curso de Filosofia, no Seminário Diocesano São José, em Três Corações e, em 1986, o Curso de Teologia, realizado no Instituto Teológico Sagrado Coração de Jesus, em Taubaté, agregado à Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (RJ). Tendo concluído sua formação seminarística, foi ordenado presbítero no dia 1º de janeiro de 1987, em Cristina (MG), por Dom Tarcísio Ariovaldo do Amaral, já falecido. Como padre, concluiu os cursos de Estudos Sociais, em 1989, e de História, em 1990, pela Universidade Vale do Rio Verde, em Três Corações. Em 1993, obteve o Mestrado em Filosofia – Especialização em Filosofia Teorética, pela Universidade Gregoriana, em Roma, Itália. Cinco anos após, em 1998, obteve o título de Especialista em Filosofia Contemporânea (latu sensu), pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, em Belo Horizonte (MG). Na diocese de Campanha, realizou trabalhos pastorais nas seguintes paróquias: Nossa Senhora das Dores, em Boa Esperança; Santa Isabel, em Heliodora; Santa Catarina de Alexandria, em Natércia; Nossa Senhora da Conceição, em Conceição das Pedras; e Sagrada Família, em Três Corações. Foi, também, membro de diversos organismos diocesanos com o Conselho Presbiteral, Conselho Administrativo e Conselho Pastoral. Foi coordenador diocesano da Pastoral da Liturgia e professor, vice-reitor e reitor do Seminário Diocesano São José, do Curso de Filosofia também em sua diocese natal. Atuou como docente de Filosofia no Seminário Arquidiocesano Nossa Senhora Auxiliadora, na arquidiocese de Pouso Alegre (MG). No Regional Leste 2 da CNBB, representou da diocese de Campanha na Organização dos Seminários e Institutos Filosófico-Teológicos do Brasil e na Comissão de Liturgia. Eleito bispo no dia 09 de março de 2005 por Sua Santidade João Paulo II, foi ordenado no dia 13 de maio na cidade de Cristina (MG). Quinze dias após, no dia 28 de maio, tomou posse do ofício de Bispo Auxiliar na Arquidiocese de São Paulo. Durante sete anos de sua permanência nessa Arquidiocese, Dom Tomé foi Vigário Episcopal na Região Episcopal Ipiranga, Vigário Geral da Arquidiocese de São Paulo, Bispo Assessor da Pastoral Vocacional, dos Seminários e da Dimensão Missionária. Também, atuou com o Bispo referencial para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-Religioso no Regional Sul 1 da CNBB. No dia 26 de setembro de 2012, foi eleito bispo da Diocese de São José do Rio Preto. No dia 16 de novembro de 2012, na presença de inúmeros bispos, padres e leigos, tomou posse como o 5º bispo da história desta diocese do Noroeste Paulista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *