Cantar a Liturgia

O QUE É MISTAGOGIA? Nos próximos números, analisaremos alguns cantos pinçados do repertório litúrgico da Igreja no Brasil na perspectiva da mistagogia.  Antes de tudo, faz-se necessária a definição do termo “mistagogia”. Para isso, lançaremos mão de um texto da renomada liturgista Ione Buyst, extraído de seu livro O segredo dos ritos (pp. 115-116). Ei-lo: “A palavra mistagogia é composta de duas partes: mist + agogia. Mist está relacionado com mysterium, ‘mistério’; agogia vem de ago, que tem a ver com ‘conduzir’. ‘guiar’. Podemos traduzir: guiar, conduzir para dentro do mistério […], conduzir através do mistério, iniciar ao conhecimento do Leia Mais …

Cantar a Liturgia

CANTO E MÚSICA: PREFIGURAÇÃO DO PERENE LOUVOR  O Concilio Vaticano II, no empenho pela busca das fontes da espiritualidade cristã, recuperou o sentido escatológico da celebração litúrgica nestes termos: “Na liturgia terrena, antegozando, participamos da liturgia celeste, que se celebra na cidade santa de Jerusalém, para a qual, peregrinos nos encaminhamos. Lá, Cristo está sentado à direita de Deus, ministro do santuário e do tabernáculo verdadeiro; com toda a milícia do exército celestial, entoamos um hino de glória ao Senhor e, venerando a memória dos santos, esperamos fazer parte da Leia Mais …

Cantar a Liturgia

CANTO E MÚSICA: EXPRESSÃO DA CULTURA DE UM POVO  Canto e música devem, necessariamente, “brotar da cultura musical do povo, de onde provêm os participantes da assembleia celebrante. Nessa cultura, então, é que prioritariamente se buscam e se encontram os gêneros musicais que melhor encaixam na variedade dos tempos litúrgicos, das festas e dos vários momentos ou elementos rituais de cada celebração: toda linguagem musical é bem-vinda, desde que seja expressão autêntica e genuína da assembleia” (CNBB, Canto e música na liturgia, n. 17).  A inculturação da música litúrgica foi preocupação constante na Leia Mais …

Cantar a Liturgia

CANTO E MÚSICA: EXPRESSÃO DE ALEGRIA E AMOR  Sabe-se que a alegria era uma característica marcante nas comunidades cristãs primitivas. No livro dos Atos dos Apóstolos, lemos que os primeiros cristãos “frequentavam diariamente o templo, partiam o pão pelas casas e tomavam a refeição com alegria e simplicidade de coração” (At 2,46). Essa alegria é, naturalmente, expressão da fé no Ressuscitado.  A ação do Espírito Santo faz que os salmos e cânticos, outrora entoados pelo povo da primeira aliança, ressoem, agora, no coração e nos lábios dos cristãos com um Leia Mais …

Cantar a Liturgia

CANTO E MÚSICA : EXPRESSÕES DA COMUNHÃO ECLESIAL  São João Crisóstomo (século IV) em uma de suas homilias, diz: “Desde que o salmo ‘cai’ no meio de nós, ele reúne as vozes diversas e forma de todas elas um cântico harmonioso: jovens e velhos, ricos e pobres, mulheres e homens, escravos e livres, fomos arrastados em uma só melodia. […] O profeta fala, e todos nós respondemos todos mesclamos nossa voz à sua. Aqui não há nem escravo nem livre, nem rico nem pobre, nem príncipe nem súdito; longe de Leia Mais …

Cantar a Liturgia

CANTO E MÚSICA: SOPRO DO ESPÍRITO A liturgista Ione Buyst escreveu, certa vez, bela reflexão sobre “o Espírito que canta em nós”: “A carta aos Efésios nos oferece uma pista valiosa, ao associar o canto com o Espírito Santo: ‘Não se embriaguem com vinho, que leva para a libertinagem, mas busquem a plenitude do Espírito. Juntos recitem salmos, hinos e cânticos inspirados, cantando e louvando ao Senhor de todo o coração’ (Ef 5,18-19). ‘Espírito’ tem a ver com sopro, vento. Sopro e vento fazem vibrar, produzem vibração. Há quem afirme Leia Mais …

Cantar a Liturgia

CANTO E MÚSICA: EXPRESSÃO SONORA DA SAGRADA ESCRITURA  Graças à influência dos movimentos bíblico, litúrgico e ecumênico, o Concílio Vaticano II recuperou a centralidade da Sagrada Escritura na vida da Igreja. Momento privilegiado da presença de Cristo é o da proclamação de sua Palavra na ação litúrgica pois é ele mesmo quem fala” (SC 7). Fazendo eco à voz dos santos Padres, a Sacrosanctum Concilium reforçou a primazia do texto do canto litúrgico. Este deve ser expressão sonora que brota da Palavra proclamada, meditada, vivida (cf. SC 121). Mais do que Leia Mais …

Cantar a Liturgia

CANTO E MÚSICA: MEIO EFICAZ DE PARTICIPAÇÃO A palavra “participação” aparece repetidas vezes ao longo da Sacrosanctum Concilium. Afinal, a motivação para o incremento da reforma da liturgia consiste na participação dos fiéis: “A mãe Igreja deseja ardentemente que todos os fiéis sejam levados àquela plena, consciente e ativa participação das celebrações litúrgicas, que a própria natureza da liturgia exige e à qual por força do batismo, o povo cristão, ‘geração escolhida, sacerdócio régio, nação santa, povo eleito’, tem direito e obrigação.  Cumpre que essa participação plena e ativa de todo Leia Mais …

Cantar a Liturgia

CANTO E MÚSICA: PARTE INTEGRANTE DA AÇÃO LITÚRGICA  O capítulo 6° da Sacrosanctum Concilium vem encabeçado por um proêmio que apresenta, de forma sumária, a verdadeira identidade da música litúrgica, bem como sua função ministerial e sua finalidade. Quanto à identidade, canto e música são “parte necessária e integrante” da liturgia; quanto à sua função, serão tanto mais litúrgicos quanto mais estiverem ligados à ação litúrgica, quer exprimindo mais suavemente a oração e favorecendo a unanimidade, quer conferindo maior solenidade aos diversos ritos; sua finalidade é a glória de Deus e a Leia Mais …

Cantar a Liturgia

CANTO E MÚSICA: EXPRESSÃO ELOQUENTE DO DIALOGO DA “ESPOSA” COM O DIVINO ESPOSO    O canto harmonioso da assembleia é sinal sacramental da Igreja, corpo de Cristo. Por isso esse gesto litúrgico jamais poderá ser reduzido ao aspecto meramente formal, decorativo ou acessório. Trata-se de diálogo amoroso de dois parceiros: Cristo e a Igreja. Servindo-se da própria Palavra de Deus (salmos, cânticos bíblicos…), a “Esposa”, inflamada pela chama amorosa do Espírito Santo, põe-se a dialogar com seu diletíssimo “Esposo” (SC 84), fazendo chegar o mais perfeito louvor aos ouvidos daquele Leia Mais …

Cantar a Liturgia

CANTO E MÚSICA: EXPRESSÃO DO MISTÉRIO CRISTÃO  É sabido que, dentre os diversos elementos que compõem a ação litúrgica (palavra, orações, gestos corporais…), canto e música ocupam lugar privilegiado na celebração do mistério de nossa fé. Cantamos as maravilhas realizadas por Deus ao longo da história da salvação, cujo ápice é o mistério pascal de Cristo. Rendemos graças ao Pai pelo envio de seu Filho, que nos resgatou da antiga escravidão do pecado e da morte e nos reconduziu ao convívio dos que estão a caminho da “Jerusalém celeste”. Juntamos Leia Mais …